RBS cortará 3.700 empregos a partir de maio de 2010

Anúncio vem um dia antes da divulgação do plano do governo para separar instituição de outros bancos

Efe,

02 de novembro de 2009 | 16h02

O Royal Bank of Scotland (RBS) anunciou nesta segunda-feira, 2, que cortará a partir de maio de 2010 um total de 3.700 empregos em todo o Reino Unido, uma medida que faz parte de um plano destinado a modernizar a capacidade operativa da entidade financeira.

 

O anúncio do corte veio um dia antes de o ministro da Economia, Alistair Darling, anunciar os detalhes de um plano do governo para separar o RBS, o Lloyds Banking Group e o Northern Rock - entidades resgatadas com dinheiro público por conta da crise - para não violar as leis comunitárias sobre competência.

 

O sindicato Unite criticou com dureza o plano da direção do banco de eliminar esses postos de trabalho e um porta-voz disse em declarações a uma agência local de notícias que a decisão é "uma loucura absoluta."

 

A ideia do governo de Londres com respeito às três entidades é criar três novas redes de bancos varejistas até 2015 como parte de uma reforma do setor. Segundo algumas informações, a Tesco, a maior rede de supermercados do Reino unido, e o grupo Virgin estão interessados nessas novas cadeias bancárias, que se centrariam no negócio de depósitos e hipotecas.

 

A união Europeia aprovou na semana passada o projeto do governo britânico de dividir o Northern Rock, entidade totalmente nacionalizada durante a crise, para separar os chamados "ativos tóxicos".

Tudo o que sabemos sobre:
bancosRBSReino Unidoempregos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.