RBS tem maior prejuízo da história corporativa britânica em 2008

O Royal Bank of Scotland divulgou nesta quinta-feira um prejuízo de 24,1 bilhões de libras (34,3 bilhões de dólares) em 2008, o maior da história corporativa britânica, e informou que planeja colocar 325 bilhões de libras em ativos em um esquema de seguro estatal. O banco divulgou que a perda recorde reflete baixas contábeis de 16,2 bilhões de libras relacionadas a aquisições, incluindo a compra de partes do holandês ABN Amro em 2007, além de 7,9 bilhões de libras em perdas operacionais. O RBS também anunciou planos de levantar mais 13 bilhões de libras junto ao governo por meio de emissão de ações classe B e divulgou um programa de corte de custos que visa reduzir as despesas em 2,5 bilhões de libras. "Nos movemos intencionalmente para tomar grandes decisões que são necessárias para reestruturar o grupo", disse o presidente-executivo do RBS, Stephen Hester, em comunicado. A Grã-Bretanha lançou um esquema que pode assegurar mais de 500 bilhões de libras em ativos podres, em uma tentativa de garantir a concessão de empréstimos em meio à recessão. Sob o programa, o RBS será responsável pelos primeiros 19,5 bilhões de libras de perdas --ou 6 por cento do valor do ativo. O governo arcará com 90 por cento das perdas a partir desse valor e o RBS ficará com os demais 10 por cento. O RBS pagará uma tarifa de 6,5 bilhões de libras pelo seguro dos ativos, o equivalente a 2 por cento das perdas. O RBS também anunciou planos de colocar os ativos não essenciais em uma unidade separada para venda ou encerramento nos próximos três a cinco anos. A unidade incluiria cerca de 20 por cento dos ativos, ou 240 bilhões de libras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.