Reabilitação de nome sujo na praça

Consumidores que querem entrar no novo milênio com o nome limpo na praça devem procurar o quanto antes os órgãos responsáveis pela reabilitação de crédito. O ideal é ir pessoalmente, pois há algumas dificuldades no processo. Segundo o Procon de São Paulo, algumas empresas que oferecem serviços nessa área estão lesando os consumidores, seja cobrando taxas elevadas ou mesmo não realizando o serviço contratado. Para evitar este problema, a entidade orienta o cliente a verificar a idoneidade da empresa conversando com pessoas que já tenham utilizado o serviço ou fazendo contato com os órgãos de defesa do consumidor. Outra medida a ser tomada antes da contratação é solicitar um contrato discriminando tudo o que está incluso no serviço, como preço, formas de pagamento, taxas cobradas em cartórios e bancos. O cuidado deve ser redobrado quando o serviço for oferecido por meio de anúncios publicitários, principalmente se o telefone para contato for um celular. Associação Comercial de São Paulo Na Associação Comercial de São Paulo (ACSP) é possível limpar o nome e negociar a dívida. A entidade mantém convênio com 5 mil estabelecimentos comerciais, que dão aval aos atendentes para receber o pagamento da dívida ou mesmo renegociá-la, parcelando as prestações em três vezes, em média. Devido ao grande número de pessoas interessados em reabilitar o crédito na praça, a entidade vai ampliar o horário de atendimento ao público entre os dias 4 e 23 de dezembro. Segundo a Assessoria de Imprensa da Serasa, apesar de parecer complicado, limpar o nome da lista de restrições é uma tarefa que pode ser feita pelo próprio inadimplente, sem necessidade de recorrer a uma empresa especializada. A sugestão é pedir orientações ao banco onde a pessoa é correntista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.