Reação da indústria não consegue recuperar empregos, diz CNI

Faturamento cresceu 0,4% em julho, terceiro mês consecutivo de aumento, mas criação de vagas está estagnada

EFE,

09 de setembro de 2009 | 16h03

Os sinais de recuperação da crise no setor industrial continuam sendo insuficientes para se refletirem na geração de empregos, segundo um relatório publicado nesta quarta-feira, 9, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

 

Veja também:

linkVendas reais da indústria crescem 3,2% em julho, divulga CNI

 

A CNI considerou a situação do setor insuficiente para estimular o emprego, apesar de ter constatado que o faturamento cresceu 0,4% em julho, terceiro mês consecutivo de aumento.

 

Para a confederação, os sinais positivos na situação da indústria serviram para constatar uma interrupção de uma série de oito meses consecutivos de aumento do desemprego.

 

Além disso, segundo o relatório da CNI, a ociosidade na indústria brasileira caiu graças ao aumento de 0,5% da utilização da capacidade instalada.

 

Entre janeiro e julho deste ano, o setor industrial acumulou uma queda do emprego de 3,1%, em comparação com o mesmo período do ano passado, enquanto a redução das horas trabalhadas foi de 8,6%.

 

O relatório da CNI evidenciou que a diminuição do faturamento industrial nos primeiros sete meses de 2009 foi de 8,2%, em comparação com o mesmo período do ano passado. EFE

Tudo o que sabemos sobre:
indústriaempregorecuperaçãoCNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.