Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Reação de Mantega à projeção de crescimento foi normal, diz Meirelles

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles considerou nesta sexta-feira como normal a reação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, à redução da projeção do BC para o crescimento do PIB de 4% para 3,5%. Para ele, o fato de Mantega ter mantido sua estimativa em 4% também não surpreendeu. "Todos os órgãos fazem o trabalho de projeção independente como funciona nas instituições sólidas dentro de qualquer país organizado."Meirelles defendeu a política monetária brasileira, e ressaltou que o País já criou as condições necessárias para ampliar sua taxa de crescimento econômico. Segundo ele, o controle da inflação é pré-condição para um crescimento sustentável e também para que se discutam os problemas estruturais da nação. "Todos nós brasileiros queremos que o Brasil cresça a taxas mais elevadas possíveis. Estamos todos trabalhando para isto e felizmente o Brasil já eliminou grande parte das restrições que impediam o maior crescimento", disse o presidente do BC, ressaltando o processo de formação de reservas internacionais desenvolvido pelo banco e a liquidação da parcela dolarizada da dívida do País.Para Meirelles, as ações do governo no front externo eliminaram as restrições causadas por crises internacionais e o trabalho da política monetária previne a ocorrência de novos surtos inflacionários no Brasil. De acordo com o presidente do BC, o fato de a inflação projetada para 2006 estar se aproximando do piso da meta, não constitui um problema, mas só reforça o sucesso da política monetária. "O Banco Central considera que temos uma inflação consistente com a trajetória de metas. As metas no Brasil tem um intervalo de 2 por cento para cima ou para baixo, significando o intervalo de 2,5% a 6,5 por cento", disse Meirelles defendendo o aperto monetário promovido pelo Banco Central nos últimos anos."O normal em qualquer país do mundo é exatamente que a inflação orbite em torno do centro da meta, o que está acontecendo", afirmou após participar do 1º Seminário Internacional sobre renda fixa em mercado de balcão promovido pela Associação Nacional dos Investidores no Mercado Aberto (Andima).

Agencia Estado,

29 de setembro de 2006 | 11h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.