seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Reação do mercado é exagerada, dizem analistas em Londres

Analistas dos dois fundos de investimentos britânicos que controlam grandes volumes de papéis brasileiros, Rothschild Asset Management e Threadneedle Asset Management, disseram à Agência Estado que o mercado está tendo uma reação exagerada ao quadro político do País. "Não há razões para tamanho nervosismo, o mercado está ´overreacting´ (reagindo exageradamente), descontando tudo o que pode e o que não pode", disse Dominic Rossi, analista chefe para América Latina do Threadneedle. "Ainda estamos a cinco meses das eleições, todo mundo previa que teríamos oscilações nas pesquisas até julho, acho que está ocorrendo um exagero", afirmou Ingrid Inversen, analista do Rothschild. Ela ressaltou que o epicentro do atual nervosismo está localizado no mercado doméstico brasileiro. "Deu para perceber nos últimos dias que todo esse movimento de venda se concentrou no mercado brasileiro, mas agora obviamente já se espalhou." Segundo Rossi, a alta do Risco Brasil está sendo causada "totalmente" pelo fator político. Iversen também não vê uma deterioração dos fundamentos econômicos do país que justifique tamanha reversão de expectativas dos agentes do mercado. Mas ela observou que esse clima desfavorável criado pelo quadro político começa a colocar pressão sobre os fatores econômicos do país. A decisão do STFAnalistas acreditam que os efeitos práticos da decisão do STF que derrubou três dispositivos da Lei de Responsabilidade Fiscal serão limitados, mas que o seu impacto negativo poderá ser relevante devido ao atual nervosismo do mercado em relação ao Brasil. ?Claramente, é um evento negativo nesse momento de elevada incerteza política?, disse em nota para investidores o analista do banco Dresdner Kleinwort Wasserstein, Nuno Câmara.?O impacto psicológico de alterar um ponto chave da reforma fiscal do governo de Fernando Henrique Cardoso provavelmente será um fator adicional de incerteza para o mercado?. Dominic Rossi, analista chefe para América Latina do fundo de investimentos britânico Threadneedle Asset Management, considera negativa a decisão do STF, mas não acredita que ela abrir as portas para o descontrole do gasto público. ?Mas é óbvio que uma notícia dessas num dia como hoje serve para azedar ainda mais o ânimo do mercado.? Títulos da dívida caem em Nova YorkA decisão de ontem do STF de derrubar alguns pontos da Lei de Responsabilidade Fiscal pesou na abertura dos negócios no mercado da dívida brasileira em Nova York, onde o ambiente já encontra-se bastante conturbado por preocupações políticas. O C-Bond ? título da dívida externa - varou o patamar de 74 centavos por dólar e chegou a 73,750 centavos por dólar na mínima. O título não operava nesse nível desde dezembro do ano passado, quando, entretanto, vinha em movimento ascendente das perdas registradas nos meses anteriormentes em virtude da crise argentina. Até às 9h38 (de Brasília) o último negócio realizado com o C-Bond ocorreu a 73,812 centavos por dólar, queda de 1% do fechamento.

Agencia Estado,

10 de maio de 2002 | 12h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.