Reajuste da gasolina não se faz 'correndo atrás do câmbio', diz Mantega

O ministro da Fazenda e presidente do Conselho de Administração da Petrobras, Guido Mantega, disse que não é recomendado que se façam reajustes ao preço da gasolina "correndo atrás do câmbio", que influencia o atingimento da paridade ante o mercado internacional do petróleo.

Reuters

14 de maio de 2014 | 13h20

As afirmações foram feitas durante depoimento em uma audiência conjunta na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira.

(Reportagem de Luciana Otoni)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROGASOLINAMANTEGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.