Reajuste de água pressiona inflação no RJ em setembro

A inflação na cidade do Rio de Janeiro, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC-RJ), acelerou para 0,77% em setembro, ante deflação de 0,05% em agosto. Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que divulgou ontem o Índice, o reajuste na taxa de água e esgoto no mês (23,58%) foi o principal fator que levou à escalada da inflação na cidade. Além disso, em setembro, houve aumento de preços em seis dos sete grupos pesquisados pela FGV. Os segmentos de maior peso na formação do Índice tiveram aceleração expressiva. É o caso de Habitação (que passou de 0,23% para 1,43%, por causa da taxa de água); Alimentação (que foi de -0,23% para 0,79%) e Transportes (que passou de -0,99% para 0,01%). Os outros grupos a registrarem aceleração de preços foram Saúde e Cuidados Pessoais (que foi de 0,19% para 0,47%), Despesas Diversas (que foi de 0,82% para 1,17%); e Vestuário (que foi de 0,03% para 0,38%). O único segmento a apresentar desaceleração de preços no período foi Educação, Leitura e Recreação (que foi de 0,17% para -0,17%).PerspectivasPara outubro, a previsão é de que o Índice seja inferior ao de setembro, pois a inflação deste mês não será influenciada por outro reajuste expressivo na taxa de água. A previsão é do economista da FGV e coordenador do índice, André Braz, que estima o IPC-RJ em um patamar inferior a 0,77% no próximo mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.