Reajuste de remédios ainda não foi definido

O índice de reajuste de preço dos remédios, que vai valer a partir do próximo mês, ainda não foi definido pela Câmara Setorial de Medicamentos. A próxima reunião da câmara deve ocorrer esta semana, quando será avaliado um estudo de impactos econômicos no decorrer do ano passado, elaborado por técnicos da área econômica do governo.A alteração de preços de remédios é analisada por representantes dos ministérios da Saúde, Justiça, Fazenda e Casa Civil. Para este ano, a indústria farmacêutica espera que o reajuste seja de 7%. Segundo os empresários do setor, esse índice compensaria a alta do dólar em 2001 e o aumento dos custos de produção e importação de substâncias. No entanto, setores do governo defendem um índice menor que o reivindicado pela indústria.A definição do reajuste de preço estava prevista para ocorrer no dia 8. Mas a decisão acabou sendo adiada pelos integrantes da câmara. De acordo com a legislação que controla os preços dos medicamentos, um novo aumento só deverá ocorrer em janeiro do próximo ano.Depois de definido o índice de reajuste, os laboratórios deverão apresentar a lista com o novo preço de cada remédio. Desde julho de 2000, o governo passou a controlar os preços dos remédios. A primeira medida adotada foi o congelamento por seis meses. Depois desse período, foi aprovada a lei que estabelece o cálculo do índice anual de aumento para os medicamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.