Reajuste do diesel no interior de SP ultrapassa o previsto

Preços já registram alta de mais de 14% em cidades como São José do Rio Preto e chegam a R$ 2,13 o litro

Chico Siqueira, de O Estado de S. Paulo,

06 de maio de 2008 | 15h54

O preço do óleo diesel é reajustado acima dos 8,8% previstos pelo governo no interior de São Paulo. E na esteira do reajuste, os preços do álcool também subiram e os da gasolina devem seguir a mesma tendência, segundo donos de postos ouvidos pelo Estado em São José do Rio Preto, Presidente Prudente e Araçatuba. Veja também:Álcool ou gasolina? Calcule a opção mais econômica  O diesel já tinha subido acima dos 9,9% na semana passada, e nesta terça-feira, os novos reajustes elevaram a alta a 14%, em São José do Rio Preto. Antes do reajuste autorizado pelo governo, os postos praticavam o preço de R$ 1,82 a R$ 1,90 o litro, mas nesta terça-feira, os preços estavam entre R$ 2,00 e R$ 2,13 o litro de diesel. Em Presidente Prudente, o litro de óleo diesel também subiu acima do previsto. Saltou entre 14 e 20 centavos, um aumento de 15%. Em, Araçatuba, o aumento superou os 16%.  Os donos de postos também tiveram outra surpresa, o preço do álcool chegou reajustado nesta terça-feira em São José do Rio Preto, saltou de R$ 0,99 para R$ 1,10, o que deverá fazer os postos reajustarem o combustível na bomba para até R$ 1,30. "As distribuidoras estão repassando os custos do aumento do frete, uma vez que os combustíveis são transportados por caminhões movidos a óleo diesel", diz Roberto Uehara, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sincopetro) de Rio Preto. Segundo ele, a expectativa é de que o preço da gasolina, que hoje é vendida a R$ 1,50, também seja reajustado na próxima semana, quando o preço do frete deste produto também deverá ser repassado aos postos. Uehara criticou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pediu para os consumidores denunciarem o reajuste. Segundo ele, a única saída para o setor seria o tabelamento dos preços dos combustíveis. "Se o Lula quer mesmo organizar e controlar o setor, deveria tabelar os preços, somente assim vai evitar que uma grande quantidade de postos de combustíveis comece a fechar", afirmou.   Cide  Na última quarta-feira, 30, a Petrobras anunciou o aumento da gasolina e do diesel a partir da sexta-feira da semana passada (dia 2). No caso da gasolina, a alta é de 10%. Para o diesel, a estatal anunciou um aumento de 15%.  Entretanto, no mesmo dia, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou a redução da Contribuição de Intervenção sobre o Domínio Econômico (Cide) para neutralizar o reajuste dos combustíveis pela Petrobras. O ministro disse que a Cide seria reduzida de R$ 0,28 por litro para R$ 0,18 por litro na gasolina, o que, segundo ele, significa que o consumidor não terá aumento na bomba. Para o diesel, a redução da Cide era de R$ 0,07 para R$ 0,03 por litro. Mantega afirmou que, no caso do diesel, a redução ainda faria com que houvesse um aumento na bomba de 8,8%, embora o reajuste na refinaria fosse de 15%.

Tudo o que sabemos sobre:
Combustíveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.