Reajuste em 97% dos acordos salariais superou a inflação

Segundo o Dieese, resultado de negociações do primeiro semestre deste ano foi melhor [br]que o de 2008 e 2009

Reuters, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2010 | 00h00

Cerca de 97% das negociações salariais no primeiro semestre obtiveram reajustes iguais ou acima da inflação, segundo balanço do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgado ontem.

Foram avaliadas 290 negociações em relação ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do IBGE acumulado desde o último reajuste.

"Trata-se de um desempenho melhor que o obtido pelas mesmas 290 unidades de negociação em 2008 e 2009, quando o porcentual de negociações com reajustes iguais ou superiores ao índice foi, respectivamente, de 87% e 93%", destacou o Dieese.

"A melhora no resultado em 2010 ante os dois anos anteriores é um indicativo do bom momento por que passa a negociação coletiva brasileira, em sintonia com a evolução dos indicadores econômicos do País."

Destaque. O levantamento mostrou ainda que, na indústria, apenas 2% dos reajustes ficaram abaixo do INPC no primeiro semestre. Nos dois anos anteriores, esse porcentual chegou a quase 9%. No comércio, apenas uma das 37 unidades de negociação acompanhadas (3%) apresentou reajuste insuficiente para a reposição das perdas inflacionárias.

O setor de serviços foi o que apresentou a maior proporção de reajustes abaixo do índice, mas o Dieese acrescentou que também nesse caso houve redução no número de negociações que não conseguiram recompor o poder de compra.

Cerca de 4% dos reajustes do setor ficaram abaixo da inflação.

Índices

2,0% foi o porcentual da indústria que teve reajuste abaixo do INPC no primeiro semestre. No comércio, apenas 3% não repuseram

perdas inflacionárias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.