Reajuste nas tarifas de ligações fixas será menor que 2,9%

Variação anual do Índice de Telecomunicações ficou abaixo do IGP-DI e do IPCA, que nos últimos 12 meses acumularam altas de 4,38% e 3,18% respectivamente

Agencia Estado

21 de junho de 2007 | 12h49

O reajuste anual das tarifas de telefonia fixa, previsto para entrar em vigor a partir de 12 de julho será inferior a 2,9%. Nesta quarta-feira, 20, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou a variação de maio do Índice de Serviços de Telecomunicações (IST), que foi de 0,20%. O acumulado nos últimos 12 meses foi de 2,91% e servirá para calcular o porcentual de aumento.Essa será a primeira vez que o IST será usado integralmente para corrigir as tarifas de telefone. Esse índice começou a ser calculado em 2006 para substituir o IGP-DI, mas vinha sendo estudado pelo governo desde 2003, quando a variação anual do IGP-DI, pressionado pela alta do dólar, ficou acima de 30%, resultando em um aumento elevado de tarifas. A intenção do governo com IST foi encontrar um índice que traduzisse de maneira mais fiel os custos do setor de telecomunicações.Para calcular o reajuste, que deverá ser divulgado pela Anatel até o fim do mês, a agência vai deduzir dos 2,91% o ganho de produtividade obtido pelas empresas no período. A variação anual do IST ficou abaixo do IGP-DI e do IPCA, que nos últimos 12 meses acumularam altas de 4,38% e 3,18% respectivamente.O IST foi desenvolvido pela Anatel em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e corresponde à variação de uma cesta formada por vários índices, com maior participação do IPCA, além de levar em conta também os custos das operadoras de telefonia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.