Reajuste no gás boliviano chegará ao consumidor em 2008

Segundo estimativa da Comgás, aumento no preço para o paulistano será de até 4%, a partir de maio

Alberto Komatsu, do Estadão,

02 de outubro de 2007 | 18h48

O reajuste de 7,9% do gás boliviano importado pela Petrobras, anunciado na segunda-feira, 1º, pela estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), vai contribuir para um aumento entre 3% e 4% para o consumidor final na Região Metropolitana de São Paulo, em maio do ano que vem. A estimativa é do diretor e vice-presidente do mercado de grandes consumidores GNV e suprimento de gás da Comgás, Sérgio Luiz da Silva. A Comgás tem um contrato com a Petrobras que prevê o reajuste do preço do gás uma vez por ano, sempre em maio, até 2019. Silva ressalta que a estimativa de aumento do preço do gás na Região Metropolitana de São Paulo não leva em conta somente o reajuste anunciado pela YPFB. De acordo com ele, deve-se levar em conta, também, a taxa de câmbio, a inflação medida pelo IGP-M desde o início do ano até a data em que o preço do gás será reajustada na área de concessão da Comgás.  Silva afirma que o principal fator que contribuiu para o reajuste de 7,9% do gás boliviano, que passa de US$ 4,17 para US$ 4,50 por milhão de BTU (sigla em inglês da Unidade Térmica Britânica, medida calorífica do gás), foi a alta do preço do barril de petróleo, atualmente em US$ 80.

Tudo o que sabemos sobre:
gásBolívia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.