Reajuste nos postos deve

Com o aumento, a partir desse sábado, do preço da gasolina (10%) e do diesel (12%) nas refinarias, o reajuste nos valores cobrados do consumidor deve acontecer à medida que os postos recebam produtos com os novos preços. Segundo cálculos de especialistas, o impacto nas bombas será de até 7%, ou R$ 0,15 por litro, no caso da gasolina, e cerca de 10%, ou R$0,16, no diesel.Os reajustes surpreenderam o mercado, que, apesar de esperar aumentos neste terceiro trimestre, estimava porcentuais menores. No ano passado, a Petrobras optou por dar os aumentos em duas etapas, uma em outubro e outra em novembro. A expectativa era de que a companhia repetisse a estratégia em 2005, à espera de que as cotações internacionais do petróleo cedessem após a retomada na produção do Golfo do México, prejudicada pela passagem do furacão Katrina.O vice-presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis (Sindicom), Alísio Mendes Vaz, afirmou que o reajuste dos preços da gasolina e do diesel ao consumidor final deverá ser menor que os índices aplicados pela Petrobras nas refinarias, de 10% e 12%, respectivamente. Isso porque a gasolina C, vendida ao consumidor final, tem 25% de álcool - e o álcool não teve o preço alterado.Embora aposte que a revenda não reajustará os preços conforme as refinarias, Vaz lembra que o mercado é livre e que cada distribuidora e rede de postos de combustíveis tem sua política de formação de preços. O Sindicom, que reúne as onze maiores distribuidoras no País, representa 75% da revenda de combustíveis no mercado interno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.