Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Real valoriza 108% frente ao dólar no governo Lula

Estudo mostra que o real foi a moeda que mais se valorizou em relação ao euro e outras 7 moedas da América Latina

Roberta Scrivano, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2010 | 00h00

O real é a moeda que mais se valorizou em relação ao dólar na comparação com o euro e com outras sete moedas latino americanas. Levantamento da consultoria Economática mostra que o real subiu 108,16% do dia 31 de dezembro de 2002 até o dia 21 de dezembro deste ano (período do governo Lula).

A consultoria usou como base de comparação a taxa Ptax, que é a média das cotações do dólar verificada pelo Banco Central e ponderada pelo volume de negócios feitos com a moeda. Em 31 de dezembro de 2002 o dólar Ptax para venda estava cotado a R$ 3,533 e na última terça-feira fechou em R$ 1,6974.

Alexandre Chaia, professor do Insper afirma que vários fatores contribuíram para a valorização do real em relação ao dólar. "Mas, na verdade, de quatro anos para cá, os Estados Unidos têm feito uma política de moeda fraca a fim de equilibrar a sua balança comercial. Isso, naturalmente, iria gerar a valorização das outras moedas", explica.

Rogério Bastos, diretor da consultoria de investimentos FinPlan, concorda com Chaia. "A valorização das moedas diante do dólar é um movimento global e não só brasileiro", comenta.

Os dois especialistas, no entanto, ponderam que existem fatores nacionais específicos que impulsionaram a cotação do real.

O volume de commodities exportadas e o bom desempenho brasileiro durante a crise financeira mundial são os principais pontos que contribuíram para esse movimento, afirmam os especialistas.

Ainda de acordo com a Economática, a maior valorização anual da moeda brasileira ocorreu em 2009, quando o real teve alta de 34,22%. Dos oito anos analisados pela consultoria, apenas o de 2008 demonstrou desvalorização do real sobre o dólar, com recuo de 24,21%.

Outros países. Os países latino americanos que fizeram parte do levantamento da Economática foram Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru e Venezuela. Desses, três registraram desvalorização das moedas locais sobre o dólar: Argentina, com recuo de 15,25%; México, que perdeu 16,65%; e Venezuela, com forte queda de 67,37%.

As valorizações foram registradas no peso chileno, que teve alta de 53,14% no período analisado; o peso colombiano subiu 48,54%; e o sol, moeda peruana, registrou alta de 25,27%.

Mesmo com os fortes efeitos da crise nos países europeus, o euro registrou ganhos de 24,95% sobre a moeda americana nos últimos oito anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.