Realocação de analfabetos é o maior desafio

Realocação de analfabetos é o maior desafio

A realocação dos funcionários que inevitavelmente perderão o emprego nos canaviais nos próximos anos (mais de 110 mil só em São Paulo) por causa da mecanização será uma tarefa difícil. A média de escolaridade dos cortadores é de 4,3 anos, segundo a pesquisadora Márcia Moraes, da Esalq-USP. O número está dentro da média nacional para o setor agrícola, mas há dentro dele um contingente de 120 mil analfabetos. "O grande desafio agora é o que fazer com essas pessoas", diz Márcia. A União das Indústrias de Cana-de-Açúcar (Unica) iniciou este ano o Programa Renovação, com meta de requalificar 7 mil trabalhadores por ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.