Recadastramento de idosos está suspenso até o fim do ano

O ministro da Previdência Social, Ricardo Berzoini, disse hoje que o recadastramento de idosos do INSS deverá permanecer suspenso até o final do ano. A suspensão foi determinada ontem à noite, depois de identificada uma série de problemas em algumas agências bancárias. O pagamento do benefício do idoso acima de 90 anos tinha sido bloqueado para obrigar o recadastramento e, desta forma, combater a fraude. Mas o ministro Berzoini atribuiu o transtorno a um mal-entendido. "O procedimento foi determinar às agências que mediante apresentação de documentos ou de mero comparecimento sem documentos do aposentado que tem direito ou de um familiar, o benefício deveria ser desbloqueado e exigido até o final deste mês os documentos para manutenção dos benefícios. Infelizmente muitas pessoas não compreendem a orientação que é dada. Algumas agências tiveram problemas graves e vamos apurar o que aconteceu", afirmou o ministro, em entrevista ao programa Bom Dia Brasil, da TV Globo. Mesmo assim, segundo o ministro, em apenas três dias de vigência do cadastramento já foi possível confirmar a suspeita de fraudes no pagamento aos idosos, que representam apenas 0,7% do total dos beneficiários. "Verificamos nos três dias em que vigorou a medida que menos um terço dos aposentados compareceu para reclamar. Portanto é bastante possível que 2/3 dos benefícios estejam sendo pagos indevidamente", afirmou o ministro. Segundo ele, a experiência já demostrou que grande parte desses benefícios não existe, são fraudados ou estão sendo pagos a pessoas que são descentendes mas que não têm direito a pensão ou qualquer forma de benefício previdenciário. "O fato é que o combate a fraude envolve algum tipo de transtorno. É impossível você fazer um combate a fraude que não tenha qualquer tipo de transtorno para o aposentado", acrescentou. Ele disse que não há razão para pedir desculpas aos idosos com mais de 90 anos que nos últimos três dias tiveram que se deslocar até as agências bancárias para comprovar a identidade e desta forma conseguir o desbloqueio de seus benefícios. "Não há razão para pedir desculpas porque houve problemas localizados". "Estou convicto de que o combate a fraude vai exigir um grau de sacrifício de todos, inclusive do governo e nós vamos trabalhar para evitar que essas fraudes continuem", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.