Recálculo atuarial fará BB ter ganho de R$2,5 no 4o trimestre

O Banco do Brasil terá um ganho líquido adicional de 2,5 bilhões de reais no balanço do quarto trimestre de 2008 devido aos efeitos de um recálculo atuarial, informou o banco estatal em fato relevante encaminhado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) na sexta-feira. De acordo com o informe, o recálculo está em conformidade com uma resolução do Conselho de Gestão da Previdência Complementar (CGPC), de 29 de setembro de 2008. De um lado, a contabilização de parte dos ganhos atuariais não reconhecidos nos plano de aposentadoria e pensão resultará num ganho de 5,3 bilhões de reais. De outro, a inclusão de perdas atuariais que não haviam sido reconhecidas e efeitos fiscais resultará numa baixa contábil de 2,8 bilhões de reais. Por causa dessa revisão, o BB deixará de contabilizar em 2009 despesas de amortização de ativos atuariais vinculados ao plano de aposentadoria e pensão, bem como relacionadas a perdas atuariais de plano de assistência à saúde, que em 2008 representaram cerca de 440 milhões de reais antes de impostos. O banco controlado pelo governo federal informou ainda que revisou modelos estatísticos para cálculo de perdas com operações de crédito, o que também vai impactar o resultado do último trimestre de 2008. "Diante da atual conjuntura econômica, o banco revisou os modelos estatísticos de perda esperada de crédito de suas carteiras, implicando a contabilização de 1,7 bilhão de despesa de provisão adicional, antes de impostos", diz trecho do comunicado. (Reportagem e edição de Aluísio Alves)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.