Recall da GM leva um mês

Maioria dos 29 mil carros com defeito só será consertada depois do dia 25 de outubro

Cleide Silva, O Estadao de S.Paulo

25 de setembro de 2007 | 00h00

A General Motors do Brasil está convocando 27.277 proprietários de modelos Corsa, Meriva e Montana para que seja feita a troca dos parafusos da suspensão dianteira dos veículos. Embora tenha feito o anúncio no sábado, só daqui a um mês a montadora iniciará a substituição da peça defeituosa que, se vier a romper, pode causar acidentes.Paralelamente, a GM convocou 1.813 donos de S10 e Blazer a levarem os veículos às concessionárias também para a troca de parafusos, mas usados na fixação dos bancos. Nesses modelos, o conserto começará na quinta-feira. Ao todo, o recall envolve 29.090 veículos.O Procon defende que o reparo comece imediatamente. O diretor de fiscalização do órgão, Paulo Arthur Góes, disse que a entidade encaminhará hoje à direção da GM notificação solicitando esclarecimentos sobre os motivos da demora em iniciar o atendimento gratuito aos clientes nas concessionárias. ''''A empresa terá até 48 horas para responder. A partir daí, vamos avaliar se há desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor.''''Normalmente, os prazos para início de atendimento em um recall não passam de uma semana. Góes orientou o proprietário que tiver algum prejuízo por causa da demora no conserto a pedir, por meios legais, reparação à montadora. ''''É preciso guardar comprovantes de eventuais prejuízos'''', ressaltou.A GM informou que o prazo de um mês é para preparar a rede e treinar funcionários para o serviço e que não há riscos em usar o automóvel nesse período . Em 2000, problemas nos cintos de segurança levaram a empresa a fazer o maior recall da história do País, envolvendo 1,3 milhão de modelos Corsa fabricados entre 1994 e 1999. Duas pessoas morreram em acidentes em que os cintos se soltaram. A empresa foi acusada de ter demorado a fazer a convocação.RISCO DE ACIDENTEO recall atual envolve Corsa, Montana e Meriva fabricados entre 19 de janeiro e 15 de maio deste ano. A GM constatou ''''dureza dos parafusos em desacordo com o especificado, o que pode comprometer a durabilidade dos mesmos e, em certas condições específicas de utilização do veículo, diminuir sua vida útil, causando sua quebra, com risco de acidente''''.Nos casos da S10 cabine dupla e da Blazer, a convocação envolve os modelos produzidos entre 30 de julho e 31 de agosto. A empresa informou que houve ''''tratamento térmico inadequado nos parafusos de fixação dos bancos dianteiros e que, em situações extremas que afetem as características estruturais do veículo, poderá ocorrer a quebra dos parafusos, com risco de causar lesões aos ocupantes''''. Os chassis dos veículos envolvidos podem ser obtidos no site www.chevrolet.com.br ou pelo tel. 0800-702-4200.Proposta em discussão no Congresso prevê o bloqueio da transferência de veículos com recall pendente. Dos cerca de 5 milhões de veículos convocados para reparos na última década, 40% não foram levados às oficinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.