Recall será debatido na Câmara

O assunto dos recalls chegou à Câmara dos Deputados. A grande quantidade de notícias denunciando os defeitos das peças nos carros fabricados aqui no Brasil fez com que o deputado Salatiel Carvalho (PMDB-PE), presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, resolvesse organizar uma reunião para esclarecer o recall da General Motors.Segundo o deputado, serão convocados o presidente da General Motors, Walter Wieland, a diretoria do Procon de São Paulo e o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). A reunião acontecerá depois das eleições municipais, mas a data exata ainda não está definida. Além do risco causado pela falta de segurança, outro ponto levantado por ele é o prejuízo que os consumidores terão. "Quem vai querer comprar um carro que passou por um recall? O veículo perde valor de mercado."Alternativas para regular a questãoAlém deste encontro, a comissão está acionando a Polícia Federal e o Ministério Público para verificar se houve algum caso de morte. E o próprio Carvalho está preparando um projeto de lei específico para recall.De acordo com ele, o projeto deverá estar pronto em novembro. "Serão punidas todas as empresas que lesarem o consumidor". O projeto será baseado na recente lei aprovada pelo congresso norte-americano.Alguns especialistas do setor automobilístico acham que os problemas no cinto de segurança não são generalizados. "Acredito que estes problemas sejam localizados", diz Ricardo Bock, professor de carroceria da Faculdade de Engenharia Industrial (FEI). Para Marcelo Alves, professor de engenharia da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), a criação de uma agência reguladora do setor à "longo prazo" seria uma das soluções para diminuir o número de recalls.Fiat confirma recall do PalioDepois da General Motors anunciar o recall nos cintos de segurança dos Corsa, chegou a vez da Fiat. A montadora italiana confirmou, por meio de uma nota oficial, que vai realizar a "instalação preventiva" de um espaçador no cinto de segurança, para evitar que aconteçam acidentes com vítimas nos modelos Palio 1.0, Siena 1.0, Palio Weekend 1.0, Palio Young e a picape Strada fabricados a partir de maio de 1998. Os carros da nova família Palio e de maior potência estão fora do recall. O diretor de Comunicação da montadora, Marco Antônio Lage, afirmou que não há riscos de rompimento do cinto e que a medida só está sendo adotada para tranqüilizar os consumidores. Segundo a empresa, não houve registro de acidente nos mais de 320 mil veículos. A montadora italiana informou que as operações de instalação da peça nos veículos começarão a partir do dia 6 de novembro.Motocicletas também terão recall A onda de recalls não pára por aí. A Honda do Brasil está convocando donos de 74 motocicletas CBR 900 RR, importadas do Japão, a trocar a mangueira de combustível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.