Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Receita abre consultas ao sexto lote do IR; restituições somam R$ 1,67 bi

Receita Federal abre, a partir das 9h, consulta ao sexto lote da restituição do Imposto de Renda Pessoa Física da declaração de 2018

Agência Brasil

09 Novembro 2018 | 09h07

A Receita Federal abriu nesta sexta-feira, 9, a consulta ao sexto lote da restituição do Imposto de Renda Pessoa Física da declaração de 2018. O Fisco também abriu consulta a lotes residuais das declarações de 2008 a 2017.

A Receita pagará o total de R$ 1,9 bilhão a 1.142.680 contribuintes. Destes, 991.153 declarações são do Imposto de Renda de 2018, cujo pagamento totalizará R$ 1,676 bilhão.

As restituições terão correção que variam de de 4,16%, relativa às declarações de 2018, a 106,28%, para as declarações de 2008. Os índices equivalem à taxa Selic – juros básicos da economia – acumulada entre a data de entrega da declaração até este mês.

A relação dos contribuintes está disponível na página da Receita Federal na internet. A consulta também pode ser feita pelo telefone 146 ou nos aplicativos da Receita Federal para tablets e smartphones.

O pagamento será feito no próximo dia 16. Caso o valor não seja creditado nas contas informadas na declaração, o contribuinte deverá receber o dinheiro em qualquer agência do Banco do Brasil.

Também é possível ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, no nome do declarante, em qualquer banco.

Malha Fina

No último mês, a Receita Federal começou a enviar cartas a cerca de 383 mil contribuintes que apresentam indícios de inconsistências em suas declarações de Imposto de Renda de ano-base 2017. Caso deixem de retificar o documento, esses contribuintes poderão ser autuados.

Segundo o fisco, "as cartas somente são enviadas a contribuintes que podem se autorregularizar, isto é, contribuintes não intimados nem notificados pela Fiscalização da Receita Federal".

O órgão afirma que as declarações que caíram na malha fina apresentam a mensagem de "pendência". "Junto com a pendência, são fornecidas orientações de como proceder no caso de erro", informou a Receita por comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.