Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Receita arrecada R$ 54,779 bi em outubro e bate recorde

Valor representa um crescimento de 12,66% em relação a setembro e 12% na comparação com outubro de 2006

Renata Veríssimo e Adriana Fernandes,

20 de novembro de 2007 | 15h15

A arrecadação bateu mais um recorde em outubro. No total, a Receita Federal arrecadou R$ 54,779 bilhões em impostos e contribuições federais no mês passado. Os dados foram divulgados na tarde desta terça pela Receita Federal. O valor representa um crescimento real (pelo IPCA) de 12,66% em relação a setembro e 12% na comparação com outubro de 2006. No acumulado do ano, a arrecadação totaliza R$ 484,747 bilhões, o que significa um crescimento real de 10,17% em relação ao acumulado entre janeiro e outubro de 2006.  A arrecadação superou o teto das estimativas. A expectativa dos analistas para a arrecadação era de R$ 50,9 bilhões a R$ 54,5 bilhões em outubro, segundo pesquisa feita pelo AE projeções (serviço da Agência Estado) junto a um grupo de sete instituições financeiras. A mediana destas projeções fechou em R$ 52,4 bilhões. Do total arrecadado em outubro, R$ 12,920 bilhões são receitas previdenciárias, que registraram uma expansão real de 3,63%, em relação a setembro, e 11,23%, na comparação com outubro de 2006. No acumulado de janeiro a outubro, as receitas previdenciárias somam R$ 120,313 bilhões, uma alta real de 11,51% em relação ao mesmo período de 2006.  Os dados mostram ainda que a arrecadação com as receitas administradas em outubro foi de R$ 51,853 bilhões, com crescimento real (com correção da inflação pelo IPCA)de 13,96%. As demais receitas (taxas e contribuições controladas por outros órgãos) somaram em outubro R$$ 2,926 bilhões, apresentando uma queda real de 14,09% em relação ao mesmo mês de 2006. De janeiro a outubro, as receitas administradas apresentam crescimento real de 11,44%, ante o mesmo período do ano passado, atingindo R$ 468,993 bilhões. Já as demais receitas no acumulado do ano registram queda real de 17,87%, ante janeiro a outubro de 2006. Essas receitas somam R$ 15,754 bilhões.  Débitos em atraso A Receita Federal afirma, em seu relatório de outubro, que o aumento na arrecadação nos dez primeiros meses deste ano se deve principalmente ao desempenho da economia e ao "efetivo trabalho" da Receita e da Procuradoria da Fazenda Nacional na recuperação dos débitos em atraso. Segundo o documento, não houve aumento de alíquotas de tributos federais nos últimos dois anos.  Os autores do texto observam que, ao longo de 2007, os institutos de pesquisa têm divulgado crescimento das vendas principalmente de veículos, motos, partes e peças e móveis e eletrodomésticos, além do aumento da aquisição de máquinas e equipamentos pela indústria. O relatório destaca ainda - citando informações do Estadão de 15 de agosto de 2007 - que houve elevação da rentabilidade sobre o patrimônio das empresas, com ações negociadas na Bovespa, e incremento no número de processos de abertura de capital em bolsa de valores.  A arrecadação do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) aumentou 41,49%, no acumulado do ano, enquanto a arrecadação do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) cresceu 14,21% em igual período. A arrecadação da Cofins teve alta de 7,64% e a do PIS-Pasep, de 6,16%.

Tudo o que sabemos sobre:
Arrecadação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.