Receita: arrecadação cresce com economia e fiscalização

A Receita Federal atribuiu o aumento de 11% da arrecadação do acumulado no ano (de janeiro a novembro), de R$ 537,1 bilhões, principalmente ao desempenho da economia e ao efetivo trabalho da Secretaria da Receita Federal do Brasil, e da Procuradoria da Fazenda Nacional, na recuperação dos débitos em atraso e na manutenção do fluxo regular de arrecadação. A nota divulgada hoje ressalta que nos últimos dois anos não houve aumento de alíquota de tributos.A Receita informa que cresceu em 37% a arrecadação relativa a multas e juros. Também destaca que aumentou em 50,86% a arrecadação proveniente da cobrança de depósitos judiciais e administrativos.No período de janeiro a novembro a arrecadação com o imposto de importação (II) cresceu 17,91% e o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) vinculado às importações, 21,64%. A arrecadação de IPI sobre automóveis cresceu 16,09%, em relação ao mesmo período do ano passado e do IPI outros produtos, 16,51%. A arrecadação do Imposto de Renda da Pessoa Física aumentou 50,89% no período, e do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), 17,88%. O recolhimento da CSLL cresceu 16,20% e do IOF, 10,76%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.