Receita: arrecadação soma R$ 698,289 bilhões em 2009

A arrecadação de impostos e contribuições federais encerrou 2009 em R$ 698,289 bilhões, com queda real (descontada a inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA) de 2,96% ante 2008. Mas em termos nominais, a arrecadação do ano teve crescimento de 1,84%. No mês de dezembro de 2009, a arrecadação somou R$ 73,869 bilhões, com crescimento real de 2,09% ante novembro e expansão real de 6,92% ante dezembro de 2008. A arrecadação de dezembro foi a maior da série histórica.

FABIO GRANER E ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

21 Janeiro 2010 | 14h54

As receitas administradas pela Receita Federal somaram R$ 70,094 bilhões em dezembro e encerraram o ano com um total de R$ 671,614 bilhões. No acumulado do ano, a queda real foi de 3,05%. As demais receitas somaram em dezembro R$ 3,775 bilhões, e fecharam o ano com saldo de R$ 26,675 bilhões, com queda real de 0,59%.

A arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) somou em 2009 R$ 84,521 bilhões, com queda real de 5,07%, de acordo com a Receita Federal. A arrecadação da Cofins somou R$ 117,886 bilhões, com queda real de 7,04%. Já o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que foi utilizado para as desonerações feitas pelo governo para o enfrentamento do crise, teve arrecadação total no ano de R$ 30,753 bilhões, com queda real de 25,73%. O destaque entre os subgrupos do IPI é o segmento de automóveis, cuja arrecadação somou R$ 2,054 bilhões, uma queda real de 67,53%.

A Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) arrecadou R$ 44,237 bilhões, com queda real de 4,09%. Dentro desse tributo, a cobrança sobre entidades financeiras cresceu 45,9% em termos reais, somando R$ 9,033 bilhões. Já o tributo sobre as demais empresas apresentou queda real de 11,85%, somando R$ 35,204 bilhões. O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) arrecadou no ano passado R$ 19,243 bilhões, com queda real de 9,83%.

Mais conteúdo sobre:
Receita Federal arrecadação

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.