Receita ataca oposição e nega carga tributária de 40% do PIB

O secretário-adjunto da Receita Federal, Ricardo Pinheiro, disse hoje que é preciso ?despolitizar? a discussão sobre a carga tributária, mas atacou a oposição por criticar o aumento dos impostos. ?É muito cômodo o camarada que ficou oito anos aumentando a carga tributária todo o ano e agora dizer que não pode aumentar mais?, disse, numa referência aos políticos do PSDB e PFL que apoiaram o aumento dos impostos no governo Fernando Henrique Cardoso.O secretário qualificou de ?maluquice? análises que apontam que o carga tributária está hoje em 40% do PIB. Sem citar o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), que calculou este número, Pinheiro acusou essas avaliações de serem mera ?especulação?. ?A nossa preocupação é com as avaliações precipitada que se costumam fazer no mercado nos últimos tempos?, afirmou. Ele ironizou que para fazer análises simplistas os analistas precisam apenas de qualquer ?primário mais ou menos bem feito e não de faculdade?.O secretário afirmou que é preciso ?cautela? nas análises sobre o crescimento da arrecadação da Cofins, que em junho teve uma elevação de 40,79% sobre o mesmo mês do ano passado. Segundo ele, uma análise simplista dos números indicam um crescimento ?absurdo?, que no entanto deve ser detalhado, para se evitar conclusões falsas que possam induzir a uma redução da carga tributária baseada em argumentos precipitados. ?A gente quebra e se amplia a pressão por gastos. Alguém terá que pagar essa conta?. Segundo Pinheiro, nem a Receita Federal tem condições de fazer uma avaliação ?ultra? precisa do impacto das mudanças na Cofins sobre a arrecadação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.