Receita aumenta volume de autuações em 59,9%

Os fiscais da Receita Federal conseguiram aumentar em 59,9% o volume de autuações no primeiro trimestre deste ano. Dados divulgados hoje mostram que nos primeiros meses do ano a Receita autuou em R$ 6,03 bilhões empresas e pessoas físicas que não pagaram corretamente os tributos. Essas dívidas serão agora cobradas pela União. No mesmo período do ano passado, o valor das autuações foi de R$ 3,77 bilhões.A indústria, o comércio e o setor financeiro foram os mais autuados. Mas foi no setor da construção civil que a fiscalização da Receita conseguiu os melhores resultados no primeiro trimestre, aumentando em 233,6% o valor das autuações. As autuações de empresas do setor financeiro também tiveram um crescimento expressivo - de 100,8%. Nesse setor, que abrange os bancos, seguradores, entidades de Previdência privada e cooperativas de crédito, as autuações saltaram de R$ 399,6 milhões para R$ 806,2 milhões.No setor industrial, o aumento das autuações chegou a 59,9% no período e no comércio, a 27,9%. As indústrias foram autuadas em R$ 1,9 bilhão e as empresas do comércio, em R$ 927,7 milhões. A fiscalização nas empresas de serviços de telecomunicações, energia e água também obteve resultados, com aumento em 159% do valor das autuações, que chegaram a R$ 172,4 milhões.Entre as pessoas físicas, os donos de empresas e os profissionais de empresas ficaram no topo da lista das autuações. Para o coordenador-geral de Fiscalização da Receita Federal, Paulo Ricardo de Souza, o aumento do valor das autuações no primeiro trimestre é resultado do trabalho de aperfeiçoamento da seleção dos contribuintes que são fiscalizados. Segundo ele, esse esforço está permitindo que os fiscais tenham uma certeza maior na hora da seleção daqueles contribuintes que estão cometendo irregularidades. "Dificilmente saímos de uma fiscalização sem resultados", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.