Receita cancela 7,8 milhões de CPFs

A Receita Federal informou hoje que está cancelando 7,8 milhões de registros do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). Essas pessoas estão, a partir de agora, impedidas de abrir contas bancárias, prestar concursos públicos e até receber prêmios de loteria, até que regularizem a situação com o Fisco. O cancelamento do CPF ocorre sempre que um contribuinte fica dois anos sem prestar informações à Receita, seja por meio da declaração de ajuste anual ou de isentos.Segundo o coordenador nacional do Programa de Imposto de Renda, Joaquim Adir, outros 17,2 milhões de registros no CPF ficaram em situação pendente, ou seja, não prestaram informações no ano passado. Para essas pessoas, não existe sanção prevista. Basta entregar a declaração de renda deste ano ou a de isentos, que a Receita começará a receber a partir de agosto, para regularizar a situação.Apesar de usar o termo cancelado a ação da Receita não elimina as chances do contribuinte de voltar a usar o velho CPF. "Basta ir à Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil ou Correios, levando o CPF, a carteira de identidade e o título de eleitor, pagar uma taxa de R$ 4,50 e em dois dias ele voltará a ter a situação regularizada junto à Receita", disse Adir.Para os contribuintes que precisam entregar a declaração de renda, ou seja, para aqueles que receberam no ano passado mais de R$ 12,6 mil, a correção não é tão simples. "Neste caso é preciso fazer a declaração para ter o CPF de volta", disse o coordenador.O Cadastro de Pessoas Físicas do País tem hoje 83,4 milhões de registros ativos e regularizados. Desde 2000, o governo já cancelou 42,6 milhões de registros no CPF. Apesar disso, não existe um levantamento sobre o perfil dessas pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.