Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Receita com produto popular importado deve subir 15%

O faturamento das empresas integrantes da Associação Brasileira de Importadores de Produtos Populares (ABIPP) deve crescer 15% este ano e atingir mais de R$ 3,3 bilhões. A expectativa do presidente da ABIPP, Gustavo Dedivitis, é de que os associados importem mais de 220 milhões de unidades de produtos, destinados principalmente às classes de renda D e E, como utensílios domésticos, objetos de decoração, brindes e ferramentas."Os produtos importados populares chegam às pessoas com menor renda e são uma grande opção de inclusão no mercado de consumo. O popular resgata o direito de consumo da população das classes D e E, embora já tenhamos registrado uma grande participação das classes C e B nesse segmento", explica Dedivitis.Segundo ele, a desvalorização do dólar impulsionou as importações dos produto populares. "Com o dólar estável na casa de R$ 1,80, os produtos importados tendem a ser de nível mais elevado pelo mesmo valor", diz Dedivitis, que retornou ontem da China, onde visitou fábricas e reuniu-se com membros do Ministério da Indústria do País para tratar dos volumes e dos tipos de produtos populares que serão comercializados em 2008.Ao todo, são importados mais de 5 mil tipos de produtos pela entidade, sendo que aproximadamente 90% deles são procedentes da China. De acordo com o dirigente, estes produtos fabricados pelo País asiático vêm com selo de garantia e de qualidade da Abipp, que é atestado pelos órgãos fiscalizadores do Brasil.Com o aquecimento da economia brasileira, o faturamento das indústrias de produtos populares - entre nacionais e importados - deve atingir R$ 11 bilhões neste ano, estima a Abipp.

RODRIGO PETRY, Agencia Estado

14 de fevereiro de 2008 | 12h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.