Receita começa a intimar 1.470 suspeitos de sonegação

São Paulo concentra o maior número de contribuintes intimados; dívidas com a União somam R$ 475 milhões

Agência Brasil,

23 de março de 2009 | 11h48

Auditores da Receita Federal começam a entregar nesta segunda-feira, 23, 1.470 intimações a contribuintes com fortes indícios de sonegação fiscal, como parte da Estratégia Nacional de Autuação da Fiscalização (Enaf) de 2009. São Paulo concentra o maior contingente de intimados, 494 contribuintes, seguido de Minas Gerais com 177. Ao todo, são R$ 475 milhões em dívidas com a União.

 

Veja também:

Tire suas dúvidas no blog do IR

 

Outras três operações como essa estão previstas este ano, incluindo as pessoas jurídicas. Os contribuintes que se anteciparem ao Fisco até a data das autuações e regularizarem a situação estarão livres das multas, que podem variar de 75% a 150% do valor das dívidas. Muitos desses contribuintes têm mais de uma fonte com rendimentos sujeitos a imposto, mas não declaram todos os valores à Receita Federal.

 

O órgão também vai intimar contribuintes que tiveram despesas com cartão de crédito incompatíveis com a renda pessoal declarada, ou que não declaram renda, mas utilizaram o cartão nas compras. Também estão no grupo sócios de empresa ou titulares que possuem movimentações financeiras incompatíveis com a declaração. Quem não declarou a renda com aluguéis também foi acompanhado pelo Fisco.

 

O proprietário rural que apresentou renda inferior ao gasto com insumos, por exemplo, também foi investigado. A Receita verificou por meio da declaração das empresas fornecedoras de adubos e defensivos agrícolas se houve incompatibilidade nas informações.

 

No grupo, estão ainda pessoas físicas que foram omissas ao não declarar seus rendimentos, mas realizaram compras de grande valor no ano passado. O contribuinte que declarou empréstimos acima da renda para justificar variação patrimonial também não escapou da Receita.

Tudo o que sabemos sobre:
Receita Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.