carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Receita continua operação contra venda ilegal pela internet

Produtos contrabandeados são comercializados por sites e enviados por Sedex, sem documentação fiscal

Solange Spigliatti, do www.estadao.com.br,

13 de setembro de 2007 | 12h21

A Receita Federal em São Paulo deu continuidade, na madrugada desta quinta-feira, 13, à Operação Leão Expresso 2, iniciada na quarta, para coibir o comércio ilegal de produtos de origem estrangeira adquiridos pela internet e remetidos por via postal.  Segundo a Receita, essas mercadorias estrangeiras, frutos do contrabando e descaminho, são vendidas por sites e lojas virtuais nacionais, sem documentação fiscal e sem o pagamento dos impostos, com a utilização dos serviços dos Correios (SEDEX). A operação foi efetuada no Centro de Tratamento de Encomendas dos Correios, na rua Mergenthaler, 592, Bloco 3, subsolo 2.  Até a noite de quarta-feira, 698 mercadorias avaliadas em R$ 894,77 mil haviam sido apreendidas. Os principais produtos apreendidos foram notebooks, projetores, câmeras digitais, óculos, relógios, videogames, jóias, acessórios para veículos, perfumes, iPhones e material médico-hospitalar.  Foram apreendidos também 1,2kg de pasta de cocaína e oito revólveres calibre 38, com munição. A operação, que teve a colaboração dos Correios, foi deflagrada para coibir o comércio ilegal de produtos de origem estrangeira adquiridos pela internet e remetidos por via postal.  A RFB continuará a fiscalizar produtos não só nos Correios, mas em outras empresas de remessa expressa de encomendas que atuam no País.

Tudo o que sabemos sobre:
internetReceita Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.