Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Receita cresce 24% e governo central tem superávit de R$ 15 bi

Resultado do Tesouro, BC e Previdência em janeiro já corresponde a 1/4 da meta do governo para este ano

Adriana Fernandes e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

27 de fevereiro de 2008 | 09h52

O governo central formado pelo Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central registrou superávit primário - receitas menos despesas, sem considerar o pagamento de juros - de R$ 15,361 bilhões em janeiro. O valor corresponde a 6,89% do PIB e já representa 1/4 da meta estabelecida pelo governo para 2008, de R$ 60,4 bilhões. No período, as receitas do governo central tiveram crescimento de 23,97%, influenciadas pela arrecadação recorde da Receita Federal. Em nota, o Tesouro Nacional atribuiu a forte crescimento das receitas a fatores "atípicos", como a expansão maior da arrecadação do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido.  Já as despesas totalizaram R$ 38,989 bilhões em janeiro, com expansão de 20,35% em comparação ao mesmo mês do ano passado. O resultado do governo central superou o teto das projeções de 11 economistas ouvidos pela Agência Estado, que estimavam superávit de R$ 8,5 bilhões a R$ 12,9 bilhões, com mediana de R$ 10,5 bilhões. Em janeiro de 2007, o superávit primário foi de R$ 11,555 bilhões (5,73% do PIB). O valor foi garantido pelo Tesouro Nacional, que teve superávit de R$ 20,513 bilhões, enquanto a Previdência Social registrou déficit de R$ 5,088 bilhões. O déficit de Banco Central foi de R$ 62,7 milhões.  Segundo a nota divulgada nesta quarta-feira, 27, pelo Tesouro Nacional, a melhora no resultado do governo central em relação ao mesmo período do ano passado foi influenciado por fatores atípicos como o comportamento das receitas e a não aprovação do Orçamento de 2008. Em dezembro de 2007, o governo central registrou déficit de R$ 8,052 bilhões. 

Tudo o que sabemos sobre:
Contas públicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.