Receita das micro empresas de SP tem 7ª alta seguida

O faturamento das micro e pequenas empresas teve, em média, crescimento de 1,8% no mês de julho de 2007, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Os dados são da pesquisa Indicadores, divulgada mensalmente pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP). A alta, a sétima seguida, foi a maior registrada em um mês de julho desde 2004, na comparação com o ano anterior. O faturamento médio foi de R$ 16.112,73 por empresa.De acordo com o estudo, esse crescimento foi puxado principalmente pelo setor de comércio, que teve expansão de 6,1%, enquanto a indústria registrou leve alta (0,8%). Enquanto isso, as pequenas empresas do setor de serviços sofreram queda de 5% de faturamento. Conforme o Sebrae-SP, o varejo se beneficiou pelos níveis positivos de atividade da economia, com melhora da renda do trabalhador e ampliação do crédito. Os destaques são confecções, minimercados, mercearias, além do comércio de materiais de construção, informática e escritório.As cidades do Grande ABC e do interior do Estado foram as responsáveis pela alta, segundo os dados da instituição. Isso porque, enquanto o ABC apresentou alta de 20,9% e o interior registrou crescimento de 10,1%, capital e Região Metropolitana de São Paulo tiveram baixas de 3,1% e 4,7%, respectivamente.SaláriosO estudo aponta que as empresas gastaram 3,7% a mais em julho deste ano com a folha de salários dos funcionários, na comparação com dados do mesmo mês do ano anterior. "Essa expansão é explicada pela melhora no rendimento dos empregados", afirma o Sebrae-SP, em nota. A folha de pagamentos média dessas empresas foi de R$ 2.071,03. Enquanto isso, o número de funcionários permaneceu estável em 5,7 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.