Receita de pequenas e micro empresas tem alta recorde em março

As melhores condições do mercado interno responderam pelo desempenho positivo das micro e pequenas empresas do Estado de São Paulo. No terceiro mês do ano, foram criadas 64 mil novas vagas (1,3% acima de fevereiro), puxando para 200 mil o número de postos de trabalho criados desde abril de 2004, segundo a Pesquisa Mensal de Conjuntura do Sebrae.O levantamento mostra, ainda, que o faturamento registrou um crescimento de 16,1% sobre fevereiro, maior alta desde o início da séria histórica, em 1999. Sobre março de 2004, o aumento da receita foi de 3,4%, recorde também na base de comparação anual para os meses de março desde o começo da pesquisa.O comércio foi o responsável pelo desempenho recorde dos pequenos e micro negócios em março. A título de comparação, a indústria paulista criou 8,716 mil novos empregos em março ante fevereiro, de acordo com levantamento divulgado ontem pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo.O diretor superintendente do Sebrae-SP, José Luiz Ricca, disse que a estabilização da economia e o aumento do crédito, da massa salarial e do emprego melhoraram as condições do mercado interno, impulsionando o desempenho dos pequenos negócios, que não dependem diretamente das exportações."Para nós, o primeiro semestre está garantido. Para a segunda metade do ano, ainda guardamos expectativas sobre como serão os efeitos da política macroeconômica sobre o setor. No entanto, se houver conseqüências negativas, só serão sentidas por nós em 2006", disse o executivo. As micro e pequenas empresas são geralmente as últimas a reagir ao desempenho positivo da economia.Do total de empresas no País, 99% são micro e pequenas. O Estado de São Paulo tem cerca de 1,3 milhão. Das 11 milhões de pessoas ocupadas em empreendimentos formais e informais no estado, 67% (7,5 milhões de pessoas) estão nos pequenos negócios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.