Receita é contra correção na tabela do IR

O secretário-adjunto da Receita Federal, Ricardo Pinheiro, afirmou que uma correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) geraria um efeito "perverso", pois beneficiaria as pessoas que ganham mais. "Qualquer movimento que se faça na tabela do Imposto de Renda de forma linear, como se propõe por aí, é um proveito perverso, porque é regressivo e vai beneficiar mais a quem ganha mais. E essa não é a política do governo", afirmou Pinheiro. O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, já avisou, na semana passada, que o governo não vai reajustar a tabela do IRPF em 2004. Para Pinheiro, a falta de correção da tabela não complicará a vida do contribuinte, porque a economia brasileira não tem mais o componente de indexação dos preços. "Não fica complicado. Até porque a correção monetária da tabela é algo que existe em uma economia indexada, mas, graças a Deus, a nossa economia já há alguns anos não padece mais desse problema", justificou Pinheiro. O secretário chamou atenção para o fato que, segundo ele, não pode ser esquecido, de que apenas 6% da população econômica ativa do País paga IRPF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.