Receita e PF fazem operação contra frigoríficos no Nordeste

Empresas são suspeitas de sonegar cerca de R$ 100 milhões em impostos

Agencia Estado

04 de julho de 2007 | 17h18

Em meio a uma série de denúncias envolvendo políticos e negociações com compra e venda de gado, a Receita Federal do Brasil e a Polícia Federal deflagraram na manhã desta quarta-feira, 4, a Operação Arroba, que tem como objetivo combater a sonegação fiscal em empresas do setor de frigoríficos dos Estados do Pará, Maranhão, Piauí, Pernambuco e Paraíba. As empresas são suspeitas de terem sonegado, nos últimos cinco anos, cerca R$ 100 milhões.A operação atinge 15 empresas e 10 pessoas físicas. Estão sendo cumpridos 25 mandados de busca e apreensão. Foram mobilizados cerca de 50 auditores fiscais e 150 policiais federais.Nas investigações, ficou constatado que os frigoríficos vêm realizando a comercialização de gado e a venda de carne, no mercado atacadista, por meio de empresas fantasmas, para sonegar impostos, contribuições previdenciárias e trabalhistas. Os sonegadores transferem essas obrigações para empresas de fachada mediante contratos fictícios de prestação de serviço de abate e arrendamento.De acordo com comunicado da Receita, divulgado nesta quarta, essas empresas, por serem de fachada e estarem registradas em nome de laranjas, não declaram ou registram um valor menor das suas receitas. Segundo a Receita, essa praxe foi verificada devido à grande disparidade entre suas receitas declaradas e as movimentações financeiras. Quando uma das empresas de fachada é eventualmente autuada pelo Fisco, a mesma é descartada e outra é constituída com as mesmas características e finalidades.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Arroba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.