Receita e PF prendem 7 contra sonegação em frigoríficos

Operação combate sonegação de impostos em estabelecimentos de 4 Estados

Agencia Estado

22 de junho de 2007 | 16h43

A Receita Federal e a Polícia Federal prenderam 7 pessoas nesta quinta-feira, 21, durante a Operação Abatedouro, que tem o objetivo de combater a sonegação de impostos em frigoríficos nos Estados do Tocantins, Maranhão, Pará e São Paulo. Estão sendo cumpridos 22 mandados de busca e apreensão e nove mandados de prisão nas cidades de Imperatriz e Açailândia, no MA, Araguaína, no TO, Eldorado dos Carajás e Altamira, no PA e Fernandópolis e São José do Rio Preto, no interior de SP. A suspeita é de sonegação fiscal, falsidade ideológica, formação de quadrilhas e falta de repasse de recursos destinados à Previdência Social.Foram presos João Matioli, diretor do Frigorífico Vale do Tocantins S/A, Roberto Agenor Gonçalves da Silva, proprietário da rede Frigo Stela, José Martins Jales Sobrinho, responsável pela rede de estabelecimentos Hipercarnes, Antonio Durão, contador, Fábio Almeida da Silva, responsável pela empresa F.A. Da Silva Comércio de Carnes Ltda, Ulisses Vieira Coutinho e Érika Lira Chaves dos Santos, procuradores da empresa I.T.Z. Comercial de Alimentos Ltda.A operação também apreendeu diversos computadores, contratos sociais, procurações e documentos diversos.Fiscais investigavam o caso há um ano. Eles constataram a utilização de empresas fantasmas, criadas para comercializar o gado em nome de sócios "laranjas". Essas empresas, conforme o comunicado da Receita, eram utilizadas também para sonegar contribuições previdenciárias e trabalhistas, além de impostos.Participam da operação 51 auditores fiscais e 150 policiais federais e estão sendo investigadas 20 empresas e 32 pessoas físicas. De acordo com um comunicado da Receita, estimativas mostram prejuízos de R$ 2 bilhões aos cofres do governo nos últimos cinco anos por conta de irregularidades.(com Agência Brasil)Matéria atualizada às 12h

Mais conteúdo sobre:
PFoperação abatedouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.