Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Receita: é prematuro falar em alta da carga tributária

Para justificar o forte aumento da arrecadação em janeiro, o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, informou que 100 empresas pagaram R$ 5 bilhões de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) a mais do que no mesmo mês de 2007. Segundo ele, a Receita ?tecnicamente? não pode considerar que esse aumento vai se repetir ao longo dos próximos meses do ano. Dessa forma, disse ele, é prematura qualquer avaliação de que houve aumento da carga tributária, mesmo com o fim da CPMF.?Essa é uma avaliação do mês de janeiro, influenciado pelo crescimento forte da economia no último trimestre de 2007. Não podemos levar esse crescimento para os outros meses do ano?, ponderou. ?É uma arrecadação que fugiu do patamar normal?, insistiu ele. Segundo ele, o forte crescimento de 55,86% da arrecadação do IRPJ e da CSLL em janeiro em comparação ao mesmo mês de 2007 é atípico, influenciado também pela antecipação do pagamento do ajuste anual do Imposto de Renda, que as empresas têm que fazer em março. A Receita apresentou uma lista dos setores que registraram maior aumento no pagamento do IRPJ e CSLL: financeiro (138,38%); atividades auxiliares dos serviços financeiros (169,89%), metalurgia (80,21%); eletricidade (56,62%); comércio atacadista (32,38%); serviços de escritório e de apoio administrativo (56,95%); transporte terrestre (91,20%); extração de minerais metálicos (41,60%); fabricação de produtos químicos (73,04%) e atividades de sedes de empresas e de consultoria de gestão (58,71%).

ADRIANA FERNANDES E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

26 de fevereiro de 2008 | 17h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.