Receita eleva teto de exportação simplificada para US$ 20 mil

A Receita Federal resolveu dobrar o limite para as empresas exportarem os seu produtos pelo sistema simplificado. Medida publicada hoje no Diário Oficial da União eleva o limite de US$ 10 mil para US$ 20 mil com o objetivo de estimular a participação de um número maior de empresas no comércio internacional. O limite vale para o equivalente em outras moedas e é contado para cada operação de venda ao exterior. A medida deve beneficiar principalmente as micro e pequenas empresas.Pelo sistema de declaração de exportação simplificada, a documentação exigida pela Receita é bem menor. Além disso, a declaração pode ser encaminhada pelos Correios e outras empresas de remessas expressas. Na declaração normal, o procedimento é mais burocrático, a documentação mais extensa e o exportador obrigatoriamente tem que encaminhá-la.Exporta-FácilO limite alcança também as exportações feitas pelo "Exporta Fácil" dos Correios, que oferece facilidades para empresas e pessoas físicas que desejam exportar seus produtos de maneira mais simples. Por ele, o exportador contrata a logística postal de sua mercadoria até o país de destino e os Correios cuidam do registro da operação no Sistema de Comércio Exterior (Siscomex). Não há custos adicionais ou burocracia. Quem exporta pelo Exporta Fácil não precisa obter antecipadamente o registro de exportador e nem aguardar a emissão da declaração simplificada de exportação.Câmbio SimplificadoA secretária-adjunta da Receita Federal, Clecy Lionço, informou que a ampliação do limite se alinha à medida já adotada recentemente pelo Banco Central (BC), que fixou em US$ 20 mil o limite para as operações de fechamento de câmbio simplificado. Segundo ela, a medida dá continuidade ao processo de facilitação do comércio exterior, "sem prejuízo da garantia da segurança aduaneira". As importações com o uso da declaração simplificada permaneceram com o limite de até US$ 3 mil.No ano passado, as exportações realizadas por meio da declaração simplificada chegaram a US$ 120 milhões, registrando crescimento de 21% em relação a 2004. Com o aumento do limite, a expectativa agora da Receita é que em 2006 haja um aumento ainda maior na quantidade de pequenos exportadores."O aumento do valor para o despacho aduaneiro simplificado é um importante fator de estímulo para incrementar as vendas", disse Clecy. A secretária informou que não está descartada a possibilidade de mais a frente a Receita elevar novamente o limite. Segundo ela, as empresas de remessas expressas queriam que o limite subisse para cerca de US$ 40 mil.CulturaA Receita também facilitou a entrada no País de bens de caráter cultural, como obras de arte, equipamentos e cenários, destinados à exposições, mostras e espetáculos. Também foi simplificado o procedimento aduaneiro de envio ao exterior de bens destinados à ajuda humanitária e salvamento em situações de guerras, calamidades e acidentes. Antes da nova regulamentação o envio só poderia ser feito por um órgão do governo. Com a mudança, essa restrição foi retirada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.