Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Receita Federal faz blitz em grandes empresas

A secretária da Receita Federal, Lina Maria Vieira, determinou uma blitz nas grandes empresas para ?identificar? e ?combater com firmeza? a ?inadimplência junto aos grandes contribuintes?. A decisão foi repassada a todos os superintendentes da Receita por um e-mail ao qual o Grupo Estado teve acesso. A Receita confirma que, de imediato, 400 empresas receberão a visita dos fiscais. No e-mail, Lina diz que a crise afeta o caixa da União e já provocou redução de R$ 3,2 bilhões na arrecadação prevista para novembro. A secretária orienta os superintendentes a ?redirecionar parte do trabalho de fiscalização? às diligências contra a inadimplência nas empresas selecionadas. Determina, também, a abertura de mandados de procedimento fiscal para identificar ?anomalias? no recolhimento de tributos. Lina pede que os fiscais, para ?evitar a ampliação dos efeitos da crise?, informem mensalmente as providências adotadas nessas diligências à Coordenação Especial de Acompanhamento dos Maiores Contribuintes (Comac) - órgão criado há cinco anos para acompanhar as atividades dessas empresas em ?tempo real?.O presidente Luiz Inácio Lula da Silva já foi alertado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que a queda da arrecadação é provocada em parte pela inadimplência de empresas que estão atrasando impostos para fazer caixa neste momento de crise, restrição e encarecimento do crédito. Para as empresas, é mais barato bancar a multa e o débito, que é corrigido pela Selic (atualmente de 13,75% ao ano) do que pegar empréstimos nos bancos. A informação que chegou ao ministro da Fazenda e foi transmitida ao presidente Lula é que escritórios de advocacia estariam orientando seus clientes a adotar esse procedimento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

13 de dezembro de 2008 | 07h45

Tudo o que sabemos sobre:
Receitablitzempresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.