Receita Federal já arrecada mais do que antes da crise

Primeiro bimestre tem recorde histórico na arrecadação: alta de 13,5%; no acumulado de 12 meses, alta é de 0,21%

Adriana Fernandes, Renata Verissimo, O Estadao de S.Paulo

19 de março de 2010 | 00h00

/ BRASÍLIA

Depois de enfrentar sucessivas quedas de receitas ao longo de 2009, a Receita Federal conseguiu obter no primeiro bimestre recorde histórico na arrecadação de impostos e contribuições federais, consolidando o processo de recuperação iniciado no final do ano passado. Pela primeira vez, depois da crise financeira, a arrecadação acumulada em 12 meses voltou a registrar crescimento ainda pequeno, de 0,21%, mas suficiente para o governo projetar um ganho de receita de 12%, acima da inflação, este ano.

Nos dois primeiros meses de 2010, entraram R$ 126,56 bilhões para os cofres do Fisco. O resultado mostra um crescimento real (acima da inflação medida pelo IPCA) de 13,46% em relação ao primeiro bimestre de 2009, considerado o período mais crítico de impacto da crise financeira internacional na economia brasileira. No ano passado, o país estava em recessão no primeiro trimestre.

Em fevereiro, de acordo com dados divulgados ontem pela Receita, a arrecadação foi recorde para o mês e somou R$ 53,54 bilhões, com alta de 13,23%. Em janeiro, a arrecadação também foi, mas ainda não revertia a queda acumulada nos últimos 12 meses. Até janeiro, as receitas administradas pela Receita acumulavam uma queda de 0,62%, revertendo em fevereiro para um ganho de 0,21%. O secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, garante que o primeiro bimestre marca o início da recuperação plena da arrecadação.

"O resultado do bimestre zerou as perdas acumuladas no ano passado, que foram severas", comentou. As receitas do governo com tributos foi um dos últimos indicadores econômicos a reagir à saída da crise.

Além da recuperação da atividade econômica e o início do desmonte das reduções do IPI, concedidas durante a crise, a arrecadação do bimestre foi reforçada pelo pagamento antecipado de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.