Receita Federal suspende 8,27 milhões de CPFs

A Receita Federal suspendeu nesta sexta-feira 8,27 milhões de CPFs. Os documentos pertencem a pessoas que não entregaram a Declaração de Isento ou a do Imposto de Renda nos dois últimos anos. Em 2006 foram suspensos 7,4 milhões de CPFs. Os contribuintes podem checar a situação cadastral do documento pela página da Receita na internet ou pelo telefone 0300-789-0300. O custo da ligação é R$ 0,40 se feita de celulares e R$ 0,04 de telefones fixos.O levantamento mostra que, dos documentos suspensos neste ano, 2,25 milhões estão em São Paulo, representando 26,89% do total. Em seguida aparece Minas Gerais com 847 mil (10,23%), seguido do Rio de Janeiro, com 791,9 mil (9,57%). Amapá foi o Estado onde houve o menor registro de suspensões, 28,9 mil (0,35%). Desde 1998, ano em que a Receita criou a Declaração de Isento, foram suspensos 41,22 milhões de CPFs. Nesse período os cancelamentos por duplicidade ou morte do portador atingiram 1,5 milhão.Os documentos "pendentes de regularização", pertencentes a contribuintes que não declararam no último ano, totalizam 22,17 milhões. Após o novo processamento, o número de inscrições irregulares - somadas as canceladas, suspensas e as com pendências - soma 64,9 milhões de um total de 162,5 milhões. Regularização do CPFQuem teve o CPF suspenso ou colocado na condição "pendente de regularização" pode solucionar a pendência a qualquer tempo. Os isentos devem ir ao Banco do Brasil, Caixa Econômica e Correios. Será cobrada uma taxa de R$ 5,50. Os demais contribuintes devem entregar as declarações de IR atrasadas para regularizar a situação.Quem estiver com o CPF irregular fica impedido de realizar várias operações no mercado, como abrir conta, pedir crediário, tirar passaporte, participar de concurso público, receber benefícios da Previdência, entre outras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.