Receita investiga esquema de fraude em Poços de Caldas(MG)

A Receita Federal anunciou nesta quinta-feira mais uma operação para investigar fraudes nas declarações de Imposto de Renda Pessoa Física. Na operação, que está sendo chamada de Leão Branco, a Delegacia da Receita Federal em Poços de Caldas (MG) está investigando 220 contribuintes suspeitos de terem fraudado a declaração. Eles teriam usado recibos falsos para comprovar despesas médicas e, com isso, aumentaram o valor da restituição. A Receita descobriu, entre as irregularidades, que há profissionais liberais que emitiram, em um ano, cerca de R$ 1 milhão em recibos. Apenas um emitiu cerca de R$ 4 milhões em recibos entre 1999 e 2003.O montante da fraude no município ainda está sendo apurado, mas a Receita acredita que o número de contribuintes que adulteraram a declaração pode ser maior. Também está sendo investigada a participação de outros profissionais, como contadores e advogados. Caso a fraude seja comprovada, os contribuintes vão pagar multa de 150% sobre o valor sonegado e serão processados por crime contra a ordem tributária. Se condenados, poderão pegar até 5 anos de prisão. A Receita informou ainda que os contribuintes usuários de planos de saúde também estão sendo fiscalizados. "Mesmo tendo cobertura para a maioria dos serviços médicos e hospitalares, eles vêm deduzindo valores altos com esse tipo de gasto, o que revela fortes indícios de irregularidades", esclarece uma nota divulgada pela Receita Federal. A operação Leão Branco é a terceira anunciada esta semana pela Receita Federal. Em Brasília e cidades próximas, foi descoberto um esquema que lesou os cofres do governo em R$ 2,7 milhões. Outra operação investiga fraudes em São Paulo que devem atingir R$ 15 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.