coluna

Carolina Bartunek no E-Investidor: 5 tendências prejudiciais para quem investe em ações

Receita líquida das empresas no Brasil não cresce há nove meses

Levantamento feito com companhias de capital aberto nos últimos dez anos mostra que a queda mais acentuada foi no quarto trimestre de 2015

Luana Pavani, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2016 | 19h42

A receita líquida das empresas de capital aberto no Brasil não cresce há nove trimestres consecutivos, segundo levantamento da provedora de informações financeiras Economatica feito com dados ajustados pela inflação.

Para o cálculo, a consultoria levou em conta os dados de todas as empresas de capital aberto na bolsa brasileira nos últimos dez anos, comparando o trimestre com o mesmo período do ano anterior, com os valores ajustados pelo índice IPCA.

No segundo trimestre de 2016 a mediana da queda da receita líquida dessas empresas somadas é de 8,85% em relação aos três meses encerrados em junho de 2015. Por setor, o de software e dados é o único que registra alta nesse intervalo, e o de construção civil tem a maior retração da receita, de 26,48%.

Ainda de acordo com o estudo, a queda mais acentuada de receita das empresas, de modo geral, aconteceu no quarto trimestre de 2015, quando a mediana foi de -9,81% ante o mesmo período de 2014. Por outro lado, o maior crescimento trimestral foi registrado no segundo trimestre de 2010, de 12,17%.

Tudo o que sabemos sobre:
Empresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.