Receita não estuda corrigir tabela do IR, diz secretário

O secretário-adjunto da Receita Federal do Brasil, Ricardo Pinheiro, afirmou hoje que correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) é "papo de viúva da inflação". Segundo ele, a Receita ainda não fez nenhuma simulação para calcular o impacto na arrecadação, caso haja uma nova correção da tabela no ano que vem. Esse ano a tabela foi corrigida em 10%.Ao ser questionado se o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, seria uma dessas "viúvas", o secretário respondeu diplomaticamente: "Ele (Marinho), na condição de Ministro do Trabalho, se preocupa com a situação do trabalhador brasileiro. Ele está cumprindo o seu trabalho ao propor, se possível for, algum ajuste no IRPF", disse Pinheiro. Marinho é um defensor ardoroso da correção da tabela do IRPF pela inflação do governo Lula. O secretário afirmou que não cabe à Receita Federal decidir sobre a correção da tabela. "Não é a Receita que decide. Nós temos um presidente da República", disse.MP do BemPinheiro afirmou ainda que a Receita não trabalha com a hipótese da derrubada das medidas de desoneração tributária previstas na MP do Bem. "O governo continua trabalhando para que haja um acordo para que os pontos positivos para a economia brasileira que foram colocados na MP 252 sejam restabelecidos", afirmou ele.De acordo com Pinheiro, esses pontos já "estão na conta". "Vão sair de alguma forma", assegurou ele. "Se não sair agora, a alternativa natural é no ano que vem voltarmos com as mesmas medidas", acrescentou. O secretário ponderou que os pleitos de desoneração são legítimos, mas alertou que capacidade de renúncia do governo "além da MP do Bem" é bem mais reduzida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.