Receita prevê lotes de valores elevados em novembro e dezembro

A Receita Federal liberará um grande lote de restituições do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) em dezembro, informou ontem o secretário-adjunto da Receita Federal, Ricardo Pinheiro. Ele disse que problemas operacionais no processamento das declarações fizeram com que as restituições ficassem represadas. Com isso, estão programados lotes de valores elevados em novembro e dezembro. Na próxima segunda-feira, será liberado o sexto lote de restituições, que pagará R$ 1 bilhão a 1,1 milhão de contribuintes. Depois disso, estima a Receita, ainda fica um estoque de 2,5 milhões de declarações com direito a restituição. Por isso, é certo que o lote a ser pago em 15 de dezembro será de valor elevado. Dado o volume do estoque, já se fala, na área técnica, na liberação de um lote extra ainda este ano.Pinheiro não confirmou essa informação, mas técnicos afirmam que o baixo volume de restituições pagos até agora se explica também por problemas no caixa. Em setembro e outubro, o pagamento de restituições foi de apenas R$ 300 milhões em cada mês, contra valores próximos a R$ 1 bilhão pagos em junho e julho. Em setembro e outubro, havia mais declarações processadas com direito a restituição do que o que foi liberado."O caixa certamente é um critério, mas eu não saberia afirmar se foi essa a razão", desconversou Pinheiro. "Sei que houve sim um volume grande de retenção em malha por causa de problemas técnicos que afetaram a qualidade de leitura das Dirfs." As Declarações de Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirfs) são as listagens em meio eletrônico que as empresas entregam à Receita, informando valores retidos na fonte sobre os salários de seus empregados.Balanço do anoNeste ano, contando com o lote de novembro, já foram liberados perto de 4,2 milhões de declarações com IR a restituir, que representaram R$ 4 bilhões. No ano passado, no mesmo período, tinham sido pagos R$ 4,3 bilhões a 5,1 milhões de contribuintes. Tradicionalmente, a Receita Federal libera sete lotes de restituição, um a cada mês, a partir de junho. Após dezembro, ficam para ser liberadas apenas as restituições que caíram na malha fina. Essas vão sendo processadas e pagas em lotes extras a partir de janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.