Receita realiza hoje maior destruição de mercadorias irregulares

A Receita Federal realizou hoje pela manhã a maior destruição de mercadorias irregulares da história do País. O aterro sanitário privado de Mauá, na região do ABC, recebeu 50 caminhões abarrotados com 1,1 mil toneladas de produtos piratas. Foram destruídas 330 toneladas de cigarros falsificados, 25 toneladas de CDs e DVDs, 85 toneladas de bolsas, brinquedos e óculos, além de 2 mil máquinas caça-níqueis. As apreensões foram feitas nos últimos 12 meses pela Receita e, em ações conjuntas, com polícias Federal, Rodoviária, Estaduais e prefeituras. As mercadorias levadas para o aterro de Mauá, que hoje armazena 4 milhões de toneladas de resíduos, foram destruídas por um rolo compressor e depois enterradas junto com o lixo comum. No ano passado, cerca de 24% das produtos apreendidos passaram pelo mesmo processo. Os outros 31% foram incorporados por órgãos públicos, 17% doados para entidades beneficentes e 12% leiloados. A Receita devolveu 16% dos produtos ao comércio atendendo a decisões judiciais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.