finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Receita recolhe 127 toneladas de importados em Santos

Materiais eram cópias falsificadas de marcas como Dior, Nike, Prada e Ray Ban, provenientes da China

Rejane Lima, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2008 | 14h06

A Receita Federal apreendeu 127,6 toneladas de mercadorias importadas ilegalmente durante a terceira etapa da operação "Olhos Abertos" realizada nos últimos 30 dias na Alfândega do Porto de Santos. Avaliada em R$ 15 milhões, a maior parte da carga era de óculos de sol falsificados: 911 mil pares que imitavam marcas como Ray Ban, Dior, Dolce & Gabanna, Oakley, Nike, Channel, Giorgio Armani, Prada, Louis Vuitton, Gucci e Versace.A mercadoria pertencia a 12 empresas, sendo nove de São Paulo e três de outros Estados. Segundo a Receita, 21 pessoas estão envolvidas nas fraudes e 90% das cargas vieram da China. Além dos produtos piratas, muitas mercadorias foram apreendidas por causa de "interposição fraudulenta" e "falsa declaração de conteúdo", ou seja, com a documentação aduaneira diferente da carga, seja no valor, na classificação ou na descrição das mercadorias.Entre esses produtos, a Divisão de Vigilância e Controle Aduaneiro detectou 4,9 mil cartões de memória, 450 aparelhos de "Playstation 3", 1,8 mil aparelhos MP3 e MP4 da Sony, 800 controles "joystick" para PS3 da Sony, 14 mil jogos eletrônicos para PS2, 130 mil bermudas, 70 mil bonés, 66 mil relógios e pulseiras e baterias, 18 mil bolsas e carteiras imitando modelo da Louis Vuitton, 99 mil peças de vestuário e 2 mil quilos de etiquetas de marcas famosas.Em suas três etapas, a operação "Olhos Abertos" já apreendeu quase R$ 45 milhões em mercadorias no Porto de Santos. A primeira fase antecedeu o Dia dos Pais, a segunda, o Dia das Crianças e a terceira, o Natal. Segundo o Inspetor-Chefe da Alfândega, José Guilherme Antunes de Vasconcelos, as ações da Receita em Santos ultrapassam R$ 310 milhões em apreensões e lançamentos de créditos tributários esse ano, com mais de mil pessoas identificadas pela prática de algum ilícito aduaneiro.

Tudo o que sabemos sobre:
operaçãoReceitaChinaimportação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.