Receita vê indícios de lavagem de dinheiro na Cisco

Fiscais da Receita Federal encontraram indícios de lavagem de dinheiro no esquema de fraude e sonegação de impostos do qual são acusadas a Cisco Systems e a importadora Mude Comércio e Serviços Ltda. Os investigadores desconfiam que o esquema tenha praticado evasão de divisas simulando o pagamento de direitos autorais de softwares.O dinheiro seria enviado para empresas com sede no Caribe como se tratasse de operação para pagar os titulares da patente do software. Para a Polícia Federal, essa seria uma forma de ocultar patrimônio. Essas empresas seriam responsáveis pela ligação entre as empresas fantasmas brasileiras e as americanas mantidas pelo esquema suspeito de sonegar R$ 1,5 bilhão.Além de propiciar a evasão por meio do pagamento de direitos autorais falsos, as operações com os softwares permitiam, segundo os investigadores, uma outra fraude: fingir que o valor do software era muito superior ao do equipamento importado. Outro ponto apurado é a real participação do executivo Carlos Roberto Carnevali, ex-presidente da Cisco do Brasil, no esquema. Investigadores têm indícios de que Carnevali estaria por trás das operações da importadora Mude. A Mude é uma empresa brasileira com filial nos EUA que intermediava a importação dos produtos da Cisco para o Brasil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.