Recife tem maior queda no desemprego

Entre as 6 regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE, foi a pernambucana que registrou a maior baixa na taxa, 2 pontos porcentuais

ANGELA LACERDA / RECIFE, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2011 | 03h05

Maria Helena Alves Araújo, 26 anos, é, desde outubro, produtora executiva da Avantti Serviços, empresa de terceirização de serviços e de promoção de eventos e de postos de venda, com escritório no bairro de Boa Viagem, zona sul do Recife. Com largo sorriso no rosto, ela está feliz. "Estou preparada para galgar muitos degraus, para crescer."

A capital de Pernambuco foi a que registrou maior queda no desemprego no mês, de 2 pontos porcentuais na comparação com outubro de 2010, enquanto em Belo Horizonte a queda foi de 0,8 ponto. Em Porto Alegre, foi registrado aumento de 0,7 ponto porcentual no desemprego, enquanto Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro tiveram estabilidade.

Formada em Administração de Empresas, Maria Helena estava desempregada desde maio. Aproveitou o período para fazer um curso de inglês enquanto distribuía currículos. Conseguiu o emprego dentro do seu perfil e em fevereiro inicia um curso de especialização na área de marketing. "Vou chegar onde eu quero", afirma, confiante e satisfeita consigo e com a empresa que, segundo ela, oferece as condições de crescimento que ela pretende no momento.

O tempo desempregada não a assustou. "Já estava ansiosa, mas tinha certeza de que iria conseguir uma colocação nos moldes que queria", observou. "Na minha turma - ela se formou no ano passado - todo mundo está trabalhando em empresa ou com negócio próprio."

Para Maria Helena, o Recife se beneficia do atual crescimento econômico do Estado de Pernambuco e tem mercado. O fato se reflete, ao seu ver, no trânsito caótico da cidade, nas filas em bancos, supermercados, restaurantes. "Mas é melhor pagar o preço do desenvolvimento do que estar em casa desesperada sem trabalho e sem salário."

O salário local não é comparável, reconhece ela, com o oferecido em São Paulo, mas ela está disposta a correr atrás. No Recife mesmo. Através da dedicação e busca de excelência profissional. "Há chance de se desenvolver profissionalmente aqui, sem precisar migrar para outras regiões", avalia.

Casada, o marido se forma no fim deste ano na área de Logística e também está empregado.

Qualificação. Sócio da empresa de consultoria em contabilidade Campos & Garcia, José Gonçalves Campos Filho, também diretor do Sindicato de Empresas de Serviços Contábeis de Pernambuco, afirma que as empresas de médio e pequeno portes do Recife e região metropolitana enfrentam dificuldade para manter seus quadros.

"As empresas grandes que aportam em Pernambuco oferecem mais salário e levam os funcionários experientes", afirma. "É difícil competir."

Para ele, este movimento na economia é responsável pela queda do desemprego no Recife . "Nossa empresa atende empresas de vários segmentos e vejo que essa dificuldade de segurar pessoal qualificado está presente no comércio, na indústria e na área de prestação de serviços."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.