Reclamação de corte não deterá ratificação de ESM na Alemanha

A principal corte da Alemanha informou nesta terça-feira que o governo de Angela Merkel não consultou o Parlamento adequadamente sobre o estabelecimento do fundo permanente de resgate da zona do euro, o ESM, apesar de não ser esperado que isso atrase a ratificação pela Alemanha.

REUTERS

19 de junho de 2012 | 10h26

Uma fonte do governo, um especialista em assuntos legais e membro da ala conservadora de Merkel no Bundestag (câmara baixa), disse que a Alemanha ainda está no caminho para votar sobre o Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (ESM, na sigla em inglês) e o "pacto fiscal" para disciplina orçamentária na Europa até o final do mês.

"Eu não vejo impacto concreto nos atuais procedimentos parlamentares sobre o ESM e o pacto fiscal. Não haverá atraso na ratificação", disse Nobert Barthle, o porta-voz do Parlamento sobre assuntos orçamentários do partido União Democrata-Cristã, de Merkel.

É necessário dois terços em ambas as casas para aprovar o ESM, que não pode ser colocado em operação em 1o de julho como definido sem a ratificação alemã.

Até agora, apenas quatro dos 17 Estados-membros da zona do euro ratificaram o ESM, que exige 90 por cento da base de capital do bloco monetária para começar a operar.

(Reportagem de Stephen Brown e Alexander Hübner)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROALEMANHAESM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.